Jardim de Encantos

Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada. Clarice Lispector














Era uma vez...

Num período de total falta de lucidez

Um Anjo e um Vamppiro

Que numa noite sombria

Num encontro de olhares

O amor se fez.

Dois seres que de aparente

Nada tem em comum

Mas se analisardes a fundo

Os dois, de tanto que se amam

Transformam-se em apenas um.

Ela um Anjo Azul,

De olhar encantador

Ele, um ser da noite

De hábitos sombrios

Para muitos um tanto assustador.

Diferentes a primeira vista,

Esse romance nada tinha para dar certo

Enganaram a todos...

Foi mutua conquista.

Nunca se tocaram

Apenas uma imagem e uma voz,

Ela de um anjo, ele de um algoz.

Separados apenas por uma fria tela

Um amor virtual...

Que coisa mais bela!

Mas para eles, de tão intenso,

Desse amor tão imenso,

São capazes de sensações

De sentir emoções,

De transmitir calor, cheiro e sabor.

Se contar ninguém acredita

Parece coisa sobrenatural

Fizeram do virtual

Um amor bem real.

Dois seres diferentes

Mas de essência tão igual.

Esse amor...

Que é vivido tão desvairadamente

Já foi jurado e sacramentado.

Um amor nunca vivido

Por ser humano nenhum

Pois não é coisa de gente comum,

E sim de seres tão especiais

Que não se separam jamais.

Pois isso já é uma sina,

E não precisa mais de rima,

Porque os dois se bastam

Mostram para o mundo

Um amor profundo.

Um amor além da vida...

Uma história pra ser contada

E pra sempre eternizada!


Josiane Szargiki


Da minha janela

Olho o brilho das estrelas

Respiro o doce perfume da brisa

Fecho os olhos

E pareço flutuar

Sinto a beleza da noite

Que me faz pensar

O quão importante sou

E como Deus nos criou

Agora estou serena

De energia me enchi

Coisa melhor nunca senti

Em meus pensamentos

Viajo por lugares que nunca vi

Levo-te junto de mim

De mãos dadas comigo

Voamos para longe

Para lugares nunca visitados

Que nem sequer

Pensei um dia ter estado

Da minha janela

Vendo as estrelas

Crio um mundo só meu

Viajo na minha imaginação

E absorvo cada sensação

Da minha janela

Ah, doce ilusão!

Josiane Szargiki

Subscribe via email

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Quem sou eu

Minha foto
Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca. E se me achar esquisita, respeite também. até eu fui obrigada a me respeitar. Com todo perdão da palavra,eu sou um misterio para mim" Clarice Lispector

Seguidores

BlogBlogs.Com.Br